quarta-feira, 14 de junho de 2017

Duro golpe no esporte praticado por atletas LGBT



Bandeiras sobrepostas do arco-íris, São Francisco, 2014. Foto: Torbakhopper (CC BY-ND).


Programado para acontecer entre 26 de maio e 04 de junho deste ano, na cidade de Miami, Estados Unidos, a quarta edição dos World OutGames foi catastroficamente cancelada, deixando algumas centenas (talvez milhares) de atletas amadores e profissionais bastante frustrados. O evento é uma competição multiesportiva para pessoas LGBT+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros). A justificativa para o cancelamento das cerimônias de abertura/encerramento e das modalidades (apenas três foram mantidas dentre as mais de 20, pois ocorriam independentes da organização geral), apregoada logo na entrada do site oficial do evento, argumentou “problemas financeiros” de ordem geral. Mas passado alguns dias e muitas especulações, de fato, ainda a maior parte do público diretamente envolvido não sabia ao certo o que aconteceu para que um evento de uma proporção tão grande pudesse ser cancelado.



sexta-feira, 9 de junho de 2017

Corpo/matéria, gestos/material: para pensar uma estética dos esportes

Por:

Michelle Carreirão Gonçalves, Alexandre Fernandez Vaz




Publicado na  Revista Educação da Faculdade de Educação, sob a responsabilidade do Programa de Pós-Graduação em Educação da PUCRS, v. 40, n. 1 (2017).


Resumo
Ao se pensar em uma estética dos esportes a partir da análise de material oriundo de pesquisa empírica realizada com uma equipe de rúgbi feminino sediada na cidade de Florianópolis (SC), trabalhou-se com a perspectiva de que o cotidiano de treinamento e o momento de jogo materializado nas disputas são tempos singulares de construção do que se denomina aqui obra esportiva. Esta, tomada como artefato estético em analogia à obra de arte, parece se aproximar desta no que concerne a seus elementos constituintes, como matéria, material e forma. Volta-se o olhar especialmente para os dois primeiros, encontrando, por um lado, o corpo como matéria, materialidade que permite o modelamento e a modificação; e, por outro, os gestos técnicos, o vocabulário específico de cada modalidade, configurando-se como o material da obra esportiva.

Palavras-chave: Esporte. Estética. Educação do corpo. Rúgbi. Arte

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Aprendendo Hóquei no Museu

Jogo entre Montreal Canadiens e Toronto Maple Leafs em 1938. Foto: Conrad Poirier.


A primeira vez que assisti uma partida de hóquei no gelo foi nos idos de 2003, numa ocasião em que estava no Canadá a trabalho. Não me lembro dos nomes das equipes, tampouco da importância da contenda. O “pouco caso” talvez se explique pelo frio que sentia na arena esbranquiçada e gélida: fui levado por um amigo canadense para vivenciar uma experiência de sua “paixão nacional” e, versado em futebol de campo do Brasil, não consegui entender e muito menos apreciar àquele jogo. Sem agasalho, o frio do local me congelava o cérebro e me impedia de compreender porque meu amigo tanto gritava e pulava. Mas a vida deu suas voltas e tive outras oportunidades de assistir à modalidade, em diferentes contextos e lugares. Assim como brasileiro pira no futebol de campo, o mesmo acontece com canadenses no hóquei sobre o gelo.


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Convite: 


Colóquio de Orientandos- Prof. Dr. Jaison J. Bassani

O “Colóquio de orientandos” destina-se à formação de quadros para a pesquisa e envolve a participação de pesquisadores, estudantes e professores de Educação Básica vinculados ao Núcleo de Estudos e Pesquisa Educação e Sociedade Contemporânea (UFSC/CNPq), que se encontram em distintos momentos e etapas de formação (graduação, pós-graduação, estágio de pesquisa, preparação para ingresso na pós-graduação etc.). As reuniões destinam-se, de modo geral, à leitura e discussão de obras científicas e literárias, bem como da produção textual dos membros integrantes (projetos de pesquisa, capítulos ou partes de trabalhos de conclusão de curso de graduação, mestrado e doutorado, relatórios de pesquisa, artigos em construção etc.), visando tanto a formação geral e para a pesquisa, quanto o aperfeiçoamento de trabalhos de investigação em desenvolvimento. No ano de 2017 privilegia-se o estudo e a discussão de trabalhos clássicos e contemporâneos de pesquisa (relatos de pesquisas empíricas), objetivando o contato com diferentes abordagens e técnicas de investigação qualitativa no âmbito das Ciências Humanas e Sociais. Estudantes, professores e demais profissionais interessados em participar, e que não sejam orientandos de graduação e pós-graduação dos professores vinculados ao Núcleo de Estudos e Pesquisa Educação e Sociedade Contemporânea, devem solicitar autorização prévia por e-mail (jaisonbassani@uol.com.br).
 
Dia: Terça-feiras, das 18:30h às 20:30h, na sala do NEPEF (segunda porta no corredor entre os Ginásios 1 e 2 do CDS);[15:37, 29/5/2017]; 

Encontros quinzenais;  
                      
Próximo encontro: 13/06.


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Dia Mundial contra a Homofobia (no esporte e na vida)

Na exibição teatral de uma ignorância já institucionalizada, não se deve procurar potencial transformador (Eve Segdwick, 2007, p36, grifo da autora).





No próximo 17 de maio comemora-se o Dia Mundial de luta contra a Homofobia. Homofobia é um termo em voga que denota uma hostilidade contra homossexuais – ou, dito de outro modo, contra pessoas que não encampam a heterossexualidade. Com o passar dos anos e com a crescente violência contra transexuais e pessoas transgênero, mais e mais o dia 17 de maio é tratado como Dia Mundial contra a Homofobia e a Transfobia (em inglês, IDAHOT ou International Day Against Homophobia and Transphobia). A mensagem é que não apenas devemos nos mobilizar (como sociedade civil) no combate à homofobia nas múltiplas dimensões do social, como também precisamos nos atentar às outras formas de discriminação relacionadas à sexualidade, como a bifobia (aversão a bissexuais), transfobia (intolerância a pessoas trans) ou lesbofobia (aversão a lésbicas). Como nos ensinou Daniel Borillo (2010, p. 14), a “homossexualidade é uma forma de sexualidade tão legítima quanto a heterossexualidade”, visto que ela não é nada além do que mais uma expressão do pluralismo sexual que envolve os seres humanos.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

domingo, 7 de maio de 2017


O curso “Filosofia da Tecnologia”, promovido pelo Laboratório Interdisciplinar de Ensino de Filosofia e Sociologia (Lefis) para fornecer uma introdução aos estudos filosóficos sobre a tecnologia, está com inscrições abertas. O curso será ministrado em Florianópolis, na sala do Lefis na Escola de Ensino Educação Básica Simão Hess, localizada no bairro Trindade.

São oferecidas 20 vagas, e as inscrições podem ser feitas neste link. O curso será ministrado pelo professor Alberto Cupani e terá carga horária de 20 horas, às terças-feiras, nos dias 6, 13, 20 e 27 de junho e no dia 4 de julho, das 14h às 18h.