domingo, 19 de março de 2017


Coluna da Semana na Ludopédio!

Matéria completa  aqui

A sexualidade determina o modo de torcer?

Logo no início de fevereiro, uma campanha inusitada do Rio Claro Futebol Clube fez muita gente se surpreender: o time, que disputa a Série A2 do Campeonato Paulista e com mais de cem anos de história, postou nas redes sociais (inclusive em sua página oficial no Facebook) uma foto do Estádio Schimidtão sob as cores do arco-íris contendo os dizeres “A Comunidade LGBT é bem-vinda no Estádio do Rio Claro FC”. A partir de agora, gritos homofóbicos e ofensivos da arquibancadas não serão tolerados. A iniciativa da campanha veio a partir de um grupo que é responsável por administrar as redes sociais do clube. Em que pesem argumentos contrários a ela ou mesmo taxando-a de midiática, a grande repercussão entre internautas (torcedores/as do clube ou não) mostra a importância de se discutir assuntos que envolvem o futebol de campo no Brasil e que muitas vezes são deixados de lado ou menosprezados. Independentemente do que motivou a campanha, convidar as pessoas que se consideram não alinhadas a uma heterossexualidade dominante (como lésbicas, gays, bissexuais, pessoas trans, intersexo, assexuais e queers) para comporem as arquibancadas e torcerem pelo futebol é, sim, digno de nota.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Divulgamos com prazer o novo número dos Cadernos de Formação do RBCE!


http://revista.cbce.org.br/index.php/cadernos/issue/current/showToc







v. 7, n. 2 (2016)
Sumário
Editorial
Alexandre Fernandez Vaz, Michelle Carreirão Gonçalves, Jaison José Bassani, Felipe Quintão de Almeida
Artigos

Raquel Becerril González, Nicolás Julio Bores Calle


Jéssica Vitorino da Silva Terra Nova, Fabio Zoboli


Rosiléia Perini, Valter Bracht


Rosa Malena de Araújo Carvalho, Andrea Beatriz Machado


Lisandra Oliveira Silva, Rafael Martinelli


Leandro Smouter, Silvano da Silva Coutinho


Isadora Loch Sbeghen, Viviane Dulius de Lima, Lisiane Torres e Cardoso


Alexandre Fernandez Vaz


sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

6 EDIÇÃO DA CONTEMPORÂNEA - Uma quase revista


ARTE E SOCIEDADE
Fernando Botero, caricaturista ou um artista com olhar volumétrico?
Michele Bete Petry

O sonho de Cassandra: uma tragédia de Woody Allen
Jason de Lima e Silva

A vingança dos apaches – Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino
Alexandre Fernandez Vaz

POLÍTICA E SOCIEDADE
O pensamento de Angela Davis: apontamentos iniciais
Jaqueline Conceição da Silva

Corpos Transgêneros no Esporte: algumas questões

Wagner Xavier de Camargo

CULTURA DO ESPORTE
Rio de Janeiro, 2016. Mais do que nunca, “cidade maravilha purgatório da beleza e do caos”
Danielle Torri

Rio 2016: Uma (outra) experiência Olímpica
Michelle Carreirão Gonçalves

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Nesta Segunda-feira aconteceu a abertura do VII Seminário Educação dos Corpos, Culturas, História (VI Seminário Internacional a Teoria Crítica Hoje).





O coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Educação e Sociedade Contemporânea e desta edição do evento, prof. Alexandre F. Vaz, deu as boas vindas a todos/as, participantes e palestrantes, afirmando o desafio que é no momento em que vivemos realizar um evento como esse, que recebe palestrantes nacionais e internacionais. Desse modo agradeceu o apoio da FAPESC, parceira do evento desde sua primeira edição e também neste ano, o apoio do CNPq.
Em seguida passou a palavra para o professor José Antonio Zamora (CESIC- Madri) intitulada Teoria Crítica da Cultura Hoje. Em seguida o professor Amaro Fleck fez as intervenções iniciais e abriu para a participação da plateia. 
O evento segue até sexta-feira.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

VII SEMINÁRIO EDUCAÇÃO DOS CORPOS, CULTURAS, HISTÓRIA (VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL A TEORIA CRÍTICA HOJE)

Financiamento: Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina
Realização: Núcleo de Estudos e Pesquisas Educação e Sociedade Contemporânea
Local: Auditório do CFH


Trata-se de evento científico e formativo, que na forma de conferências com debatedores pretende discutir aspectos do contemporâneo que interessem à Educação, pensada como Formação (Bildung), em sentido amplo, com foco em temas que tangenciam o corpo, a cultura, a história do presente. Temos como horizonte a reflexão legada e o potencial da Teoria Crítica da Sociedade da Escola de Frankfurt, no duplo movimento que simultaneamente consolida e ultrapassa o plano disciplinar: o da investigação conceitual dessa tradição, movimento que tem trazido questões sempre novas a partir do esforço coletivo de muitos pesquisadores ao redor do mundo; o da iluminação de desafios contemporâneos para a Educação, procurando colaborar para a consecução de uma Teoria Crítica do presente para este campo.

PROGRAMAÇÃO


17.10.2016
18 horas: Abertura a cargo de Alexandre Fernandez Vaz (UFSC/CNPq).
18:30 horas: Conferência de abertura a cargo de José Antonio Zamora (CESICMadrid) – Teoria Crítica da Cultura, hoje. Coordenadora: Franciele Bete Petry (UFSC). Debatedor: Amaro José Fleck (UFLA).

18.10.2016
18:30 horas: Conferência de Emiliano Gambarotta (CONICET, Argentina) – Dialética e Reflexividade: para uma sociologia crítica da cultura. Coordenador: Jaison José Bassani (UFSC). Debatedor: Amaro José Fleck (UFLA).

19.10.2016
18:30 horas: Conferência Jordi Maiso (Universidade Complutense de Madrid) – Teoria Crítica, Psicanálise, Formação. Coordenadora: Michelle Carreirão Gonçalves (UFRJ). Debatedora: Vanessa Cunha Prado D’Afonseca (UNICAMP).

20.10.2016
18:30 horas: Conferência de Franciele Bete Petry – É possível resistir? Considerações sobre a crítica da razão em Max Horkheimer (UFSC) – Imagem, política, formação. Coordenador: Jaison José Bassani (UFSC/CNPq). Debatedor: Jordi Maiso (Universidade Complutense de Madrid).

21.10.2016
9 horas: Conferência de encerramento a cargo de Eduardo Lautaro Galak (CONICET, Argentina) – Distâncias: sinfonia estética e política. Coordenador: Alexandre Fernandez Vaz (UFSC). Debatedora: Michelle Carreirão Gonçalves (UFRJ).
14 horas: Reunião geral de avaliação.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

CONTEMPORÂNEA - número 05 -setembro de 2016



Liberdade, como eu a penso – sobre A ideia do socialismo, de Axel Honneth
Detlev Clausen                                                      

Sobre fazer compras em turco
Natan Schmitz Kremer                                          

A emoção dos shows de talento infantis
Franciele Bete Petry           

De magia, dança e fé. Sobre Mesut Özil
Marcus Aurelio Taborda de Oliveira                            

Da covardia como norma (Sobre El Club, de Pablo Larraín)
Alexandre Fernandez Vaz